Você está aqui: Entrada Pequenos Grandes Poetas

Pequenos Grandes Poetas

A Câmara Municipal de Barcelos, através do Pelouro da Educação e Bibliotecas, promoveu mais uma vez o espetáculo “Pequenos Grandes Poetas” no auditório da Câmara Municipal, onde juntou pais, avós, amigos e professores para o encerramento da Semana Concelhia da Leitura. Aos vencedores em cada categoria, pré-escolar, 1º ciclo, 2ºciclo, 3º ciclo e ensino secundário, nas duas modalidades, de poema inédito e declamação, a vereadora do pelouro da Educação e Bibliotecas, Armandina Saleiro, entregou um cheque brinde no valor de 50 euros e livros.

VENCEDORES DECLAMAÇÃO

Declamação (Pré-Escolar)
Cauã Gabriel Monteiro Lisboa e Maria Luísa Cunha Flores do Jardim-de-Infância Avenida João Duarte, com o poema "Numa Casa Muito Estranha" de António Mota

Declamação (1º Ciclo)
Beatriz Silva Lobo da Escola Básica de Aborim, com o poema "A Nossa Terra" de Luísa Ducla Soares

Declamação (2º Ciclo)
Eduarda Oliveira Araújo da Escola Básica de Fragoso, com o poema "Ser Criança" de Conceição Araújo

Declamação (3º Ciclo)
Ana Carolina Lopes Malvar do Colégio Didálvi, com o poema "Rosa de Hiroshima" de Vinícius de Moraes

Declamação (Ensino Secundário)
Andreia da Palma Fonseca do Colégio Didálvi, com o poema "Tabacaria" de Fernando Pessoa

VENCEDORES POEMA INÉDITO

Inédito (1º Ciclo)
Maria Margarida M.G.C.Gomes da Escola Básica de Vila Boa, com o poema "A Biblioteca"

A Biblioteca
Na biblioteca da escola,

Eu vou poder ler,

Muitos livros divertidos

Novas histórias conhecer.

 

Na biblioteca da escola

Há de tudo para ler

Mas o que eu gosto mais

É de livros para aprender.

 

Se um livro quiseres ler,

À biblioteca deves ir.

Há histórias de encantar

E outras, para rir.

 

Na biblioteca da escola,

Vários livros, poderás ler.

Desde bandas desenhadas

Até enciclopédias para aprender.

 

Na biblioteca da escola

Eu não posso gritar.

Pois há gente lá dentro

Que pode estar a estudar!

 

Quando estou na biblioteca

Ponho-me a imaginar…

Quantas aventuras haverá no mundo

Quantas histórias p`ra contar?

 

Haverá coisa melhor

Do que na biblioteca ler?

Há tantas histórias, poemas…

Tantas coisas para aprender.

 

Nunca fiques à espera

Para uma história encontrar.

Dirige-te à biblioteca

Que lá, ela vai estar.

Inédito (2º Ciclo)
Luísa Carvalho da Escola Básica Abel Varzim, com o poema "Saudade"

Saudade

Palavra essa

Tão forte para a minha idade

Saudade

Em mim metida às vezes

É sentida

Contra a minha vontade

Não sei de quem

Nem de quê

Só tenho saudade

Do que não se vê

Saudade

Palavra essa

Que só é escrita

Em Portugal.

Inédito (3º Ciclo)
Ana Margarida Maciel da Escola Básica de Fragoso, com o poema "Quando escreves"

Quando escreves

Lembra-te, quando escreves,

Que é escrever o que nos liga,

Cada verso é uma porta

Para um mundo de fantasia.

 

Lembra-te, quando escreves,

Quando escreves com o coração,

Que somos uma corrente

Feita de imaginação.

 

Lembra-te, quando escreves,

Quando escreves inspirado,

Que conseguimos vencer

Se lutarmos lado a lado.

 

Lembra-te, quando escreves,

(porque escrever é magia!)

Que há algo que nos une:

São elos de poesia.

 

Inédito (Ensino Secundário)
Maria da Silva Andrade Barbosa da Escola Básica e Secundária de Vale d'Este
com o poema "Rascunho"

Rascunho

Deixei a alma repousar,

Permiti ao coração falar,

Deixei as palavras fluir.

Perdi-me num campo de flores…

e num mar agitado.

Perdi-me num coração perdido

e noutro, ardentemente, apaixonado.

Viajei por mundos desconhecidos,

por sonhos nunca antes imaginados.

Foi então, que me encontrei,

e no rascunho vagamente preenchido,

me descobri!

classificado em: